Parcelamento de cartão de crédito: como funciona?

O parcelamento de cartão de crédito nada mais é que a opção de pagamento escolhida por quem deseja se livrar da alta taxa de juros cobrada pelo crédito rotativo.

Até o final de 2017, um cliente poderia efetuar o pagamento mínimo do cartão e pagar o restante da fatura no mês seguinte.

Caso preferisse, poderia pagar novamente o valor mínimo da fatura. Este, por sua vez, recebia o acréscimo de uma taxa de juros de cerca de 20% ao mês.

Agora não é mais possível pagar o valor mínimo indefinidamente. Caso o cliente não possa efetuar o pagamento integral, precisará optar por uma opção de parcelamento.

Mas como o parcelamento funciona? Nesse post vamos explicar melhor esse assunto e dar algumas dicas importantes. Acompanhe!

Qual a diferença entre o pagamento mínimo e o parcelamento no cartão de crédito?

Você sabia que existe uma enorme diferença entre essas modalidades?

Em primeiro lugar, o parcelamento no cartão de crédito funciona como um financiamento bancário. Nele, o consumidor sabe, com antecipação, o número de parcelas que deverá pagar.

Já ao efetuar o pagamento mínimo, não é possível saber qual será o valor pago no próximo mês. Além disso, ao fazer o pagamento mínimo o cliente passará a pagar altos juros sobre o saldo devedor.

O parcelamento é uma linha de crédito que possui uma taxa de juros menor do que o rotativo. A taxa de juros do rotativo gira em torno de 450% ao ano. Enquanto a taxa do parcelamento é de 150% ao ano.

Parcelamento de cartão de crédito: 9 dicas importantes

1. Não aceite a primeira proposta

O banco ou a administradora do seu cartão de crédito tem autonomia para oferecer aos clientes uma proposta de parcelamento de cartão de crédito. No entanto, um cliente inadimplente pode conseguir descontos maiores do que o oferecido nessa primeira proposta.

Entrar em contato com a central de atendimento ao cliente é uma das maneiras de conseguir uma negociação mais vantajosa. Eventualmente você também é capaz de obter condições de pagamento que se ajustem melhor ao seu orçamento.

2. Se informe melhor sobre as regras do parcelamento

Antes de escolher o parcelamento de cartão de crédito, analise todas as opções disponíveis.

Estude todas as regras do parcelamento como:

  • Quanto tempo será preciso esperar para renovação da dívida?;

  • É possível fazer um empréstimo para quitar a dívida?;

  • O parcelamento é fixo ou variável?;

  • Qual a taxa de juros cobrada?

Faça uma pesquisa de mercado para verificar a taxa de juros cobrada por outras instituições financeiras. Decerto você pode pensar na possibilidade de transferir a sua dívida para um banco que ofereça melhores condições para quem deseja fazer um empréstimo.

Outra boa dica é fazer uma simulação de financiamento na calculadora do cidadão do Banco Central. Por meio dessa simulação é possível verificar o valor das prestações, além dos juros cobrados por diferentes instituições financeiras, por exemplo.

3. Observe as regras de uso do crédito rotativo

Como você sabe, de acordo com as novas regras o crédito rotativo pode ser usado somente por 30 dias pelos clientes.

Após esse período, é preciso escolher entre duas opções. Em primeiro lugar, pagar integralmente o valor da fatura. Ou, em seguida, escolher uma modalidade parcelamento da fatura.

O parcelamento de cartão de crédito pode durar de 6 a 24 meses, além de oferecer uma taxa de juros menor que a do crédito rotativo.

4. Não acumule parcelamentos

Enquanto durar o parcelamento, evite usar o cartão de crédito!

Se você está parcelando a fatura e continua a comprar no cartão, terá um valor muito alto para pagar.

Aliás, é provável que tenha que contrair um novo empréstimo para se ver livre da dívida.

5. Estude a possibilidade de fazer um empréstimo

O parcelamento do cartão de crédito é a quarta linha de crédito mais cara do mercado. Ela pode chegar a cerca de 165,2% ao ano, o que corresponde a 13,75% ao mês.

Já um empréstimo pessoal possui taxas de juros bem mais atrativas, em torno de 4% ao mês.

Faça uma pesquisa e escolha a opção que não comprometa toda a sua renda mensal e permita efetuar integralmente o pagamento do cartão.

6. Opte por prestações fixas

Ao fazer o parcelamento no cartão de crédito, opte por prestações fixas.

Além disso, não deixe de verificar a taxa de juros: questão fundamental para organizar suas finanças e garantir o pagamento da dívida.

7. Sempre que possível pague o valor integral da fatura

Sempre que possível, pague integralmente o valor da fatura para se ver livre de dívidas.

Ao receber o 13º salário ou o 1/3 das férias, por exemplo, pague as dívidas antigas em vez de contrair novas.

Monte uma planilha com os seus compromissos financeiros e veja onde é possível cortar gastos para não atrasar o pagamento do cartão.

8. Verifique o Custo Efetivo Total

O Custo Efetivo Total (CET) representa o valor que deverá ser pago. Isso inclui os juros e as taxas.

Esse índice permitirá verificar se o parcelamento contrato realmente se ajusta ao seu orçamento doméstico.

9. Não faça novas dívidas enquanto não quitar integralmente o valor parcelado

Um dos maiores erros de quem está endividado é assumir um compromisso que não condiz com a sua capacidade de pagamento.

Caso você verifique que não poderá pagar o valor das parcelas sem se atolar em mais dívidas, entre em contato com a administradora do cartão de crédito e negocie melhores condições de pagamento.

Outra opção é procurar o Procon. Por meio desse órgão, você pode fazer um acordo para o pagamento do cartão bem como analisar outras propostas para sanar despesas.

Como você pode perceber, o parcelamento no cartão de crédito exige muitos cuidados.

Observá-los é de fundamental importância. Principalmente para não comprometer a sua capacidade de pagamento e nem obrigá-lo a contrair mais dívidas.

Gostou deste texto sobre como funciona o parcelamento no cartão de crédito? Aproveite a visita para assinar a nossa newsletter e receba as nossas atualizações semanalmente na sua caixa de entrada!