Fraudes no comércio: 4 golpes que você lojista pode evitar

As fraudes no comércio são tão antigas quanto a própria atividade comercial. Assim como as tecnologias e os meios de pagamento evoluíram, os criminosos adaptaram seus meios de enganar os comerciantes.

Enquanto o  e-commerce brasileiro sofre uma tentativa de fraude a cada cinco segundos, imagina-se que o número de ataques em lojas físicas não esteja tão distante disso.

Se antes o lojista tinha que se preocupar somente com golpes com dinheiro falso, agora os golpes aplicados se diversificaram.

Para se proteger, o primeiro passo é conhecer as táticas fraudulentas mais comuns e entender o que sua loja pode fazer para se prevenir. Pensando nisso, nós listamos os quatro golpes que você lojista pode evitar:

1. Maquininha de cartão falsa

A maquininha de cartão é um dos itens mais importantes da sua loja. Por isso, nós já abordamos os cuidados que você deve ter com ela, em outro post aqui do blog

O golpe da maquininha de cartão falsa costuma funcionar assim:  

  • Venda de maquininha falsa: um representante comercial pode aparecer na sua loja oferecendo uma maquininha de cartão com taxas baixíssimas. Porém, o equipamento é falso e vai transferir o valor das suas vendas direto para a conta dos criminosos;
  • Troca da maquininha na loja: nesse golpe, algum criminoso disfarçado de cliente vai até sua loja fazer uma compra e, enquanto seus vendedores estão distraídos, o suposto “cliente” faz a troca da maquininha de cartão por uma falsa, que realiza o processo mencionado do caso anterior (acima)— transferir seu dinheiro e capturar os dados dos cartões dos seus clientes.

2. Chargeback

O chargeback, em si, não é uma das fraudes no comércio, mas pode ser usado como forma de prejudicar a sua loja. Chargeback é o termo utilizado quando um cliente contesta uma compra junto à emissora do cartão, geralmente de crédito, e a empresa faz o estorno do valor — ou seja, sua loja não recebe o pagamento. 

Há pessoas que fazem isso de má fé, realizando a compra no seu estabelecimento e depois contestando o valor com o emissor. Há até quadrilhas que clonam cartões exclusivamente para aplicar esse tipo de golpe.

No último caso, o verdadeiro titular do cartão fará a contestação com o emissor e você, lojista, mesmo tendo realizado a venda, poderá ficar sem receber. Por isso, o cuidado para evitar vendas para cartões clonados deve ser redobrado.

3. Trojan bancário

As fraudes no comércio também evoluíram e uma das mais novas ameaças é o Trojan bancário. 

O Trojan bancário é um tipo de vírus de computador que atua como um “cavalo de Tróia”. Um computador na sua loja recebe um e-mail com um link para acessar uma página ou fazer o download de um arquivo que contém o vírus. 

Depois de infectar a máquina, o Trojan a escaneia atrás dos dados bancários da loja e dos seus clientes — daí o nome “Trojan bancário”.

Além de poder te causar prejuízos diretos, tirando dinheiro da conta da sua empresa, esse vírus ainda pode prejudicar sua reputação com os seus clientes, se os dados deles também forem roubados.

4. Fraudes no comércio

Além das fraudes no comércio “modernas”, ainda é preciso ficar atento a alguns dos velhos golpes, como notas falsas de dinheiro, golpe do boleto pago e notas fiscais falsas.

Nos últimos dois casos, o cliente pode chegar com um comprovante falso de um pagamento de boleto que sua loja emitiu para retirar alguma mercadoria ou alterar a quantidade em uma nota falsa para levar mais do que aquilo pelo qual pagou.

Contudo, se antigamente era muito mais fácil aplicar essas fraudes no comércio, hoje a tecnologia e o cartão de crédito reduziram drasticamente o número de golpes contra lojistas.

Ainda assim, golpes podem acontecer e a melhor forma de se proteger é se conscientizar sobre o risco e treinar seus funcionários sobre as práticas criminosas mais comuns.

Agora que você já sabe quais são as principais fraudes no comércio, descubra 5 opções para vender sem precisar da maquininha do cartão!