Educação Financeira: como não se endividar nunca mais

Como você gerencia, gasta e investe seu dinheiro pode ter um impacto profundo em sua vida. Infelizmente, educação financeira não se aprende na escola.

Decerto, você provavelmente aprendeu alguma matemática básica enquanto crescia, mas muitas pessoas chegam até a idade adulta sem nunca aprender como administrar suas próprias finanças — e por isso acabam se endividando.

Saber como criar um orçamento, aplicar o dinheiro e entender como funcionam os cartões de crédito é importante para se ver livre das dívidas.

Conheça as principais regras da educação financeira e organize a sua relação com o dinheiro. Acompanhe:

As regras de ouro da educação financeira

Gerenciar suas finanças não é só saber matemática e fazer contas. A educação financeira também tem a ver com psicologia e hábitos. Em outras palavras, sua mentalidade é tão importante quanto a matemática.

Além de todos os aplicativos para controle de gastos disponíveis no mercado, existem algumas regras que sempre ajudarão a melhorar sua vida financeira:

1. Gaste menos dinheiro do que ganha

Por exemplo, se você ganhar R$ 20.000 por ano e gastar R$ 31.000, acabará em uma “bola de neve” de dívidas, difícil de controlar. Já, se você gasta exatamente o mesmo valor que ganha todos os meses, nunca estará preparado para emergências ou grandes mudanças na sua vida.

Gastar menos do que ganha te dá liberdade de poupar, preparar-se para o futuro e lidar com os imprevistos que a vida apresenta. Quanto maior a diferença entre sua renda e seus gastos, melhor.

2. Mude seus hábitos e crie uma poupança

Não basta apenas controlar o que você ganha e economizar, para gastar tudo logo em seguida. Primeiro, conseguir juntar dinheiro, como falamos, também parte de uma mudança de hábito.

Você precisa entender que em alguns momentos terá que fazer certas escolhas pensando no futuro. Talvez deixar de ir a um restaurante hoje e jantar em casa, ou mesmo deixar de fazer aquela viagem curta no final de semana para depois poder fazer uma mais longa, para um lugar melhor.

Essas escolhas mais inteligentes podem te ajudar a criar sua poupança e seu fundo de emergência, que permitirá que você lide com despesas inesperadas ao longo da sua vida.

3. Faça seu dinheiro ganhar mais dinheiro

Quer saber como os ricos continuam ficando mais ricos? Eles fazem o dinheiro deles crescer enquanto dormem. Isso significa investir o que você economiza para ganhar mais com o tempo.

Não basta guardar todo o seu dinheiro em uma conta de poupança com juros baixos. Invista em coisas que lhe renderão mais dinheiro do que antes.

Às vezes, isso significa abrir uma conta em uma corretora de valores para investir, investir em um novo negócio ou na sua carreira para conseguir um aumento. O importante é pensar em como você pode usar o que economizou para fazer o “bolo crescer”.

Como configurar um orçamento

Você sabe para onde vai o seu dinheiro ou ele simplesmente desaparece da sua conta? Um orçamento — mesmo o mais básico — é uma das melhores maneiras de evitar problemas financeiros antes que eles comecem.

Se você está começando a pensar em educação financeira agora, pode ser mais fácil iniciar com papel, caneta e calculadora, e seguir os passos abaixo:

  • Comece calculando quanto dinheiro você ganha em um mês. Se você receber por hora, multiplique seu salário pelo número  de horas que trabalha por mês;
  • Em seguida, crie categorias e anote todas as suas despesas regulares nelas. Isso inclui custos que se repetem como aluguel, luz, água, financiamento de carro e assim por diante. Para despesas variáveis, como alimentação, você pode precisar acompanhar o que você gasta ao longo do tempo;
  • Reúna seus recibos nas últimas semanas ou use o extrato de movimentação do seu banco. Se você não conseguir um número preciso, tente chegar o mais próximo possível;
  • Em seguida, acompanhe todas as suas despesas para o próximo mês. No final de cada mês, some tudo para ver quanto você gasta em cada categoria.

No final dessas contas, o valor que você gasta em um mês deve ser menor do que o valor que você ganha. Se não for, comece a revisar sua lista e veja quais despesas você pode reduzir até conseguir esse resultado.

Em alguns casos, isso pode ser tão fácil quanto cortar o cafezinho na lanchonete, em outros pode significar tomar grandes decisões.

Depois de “pegar o jeito” de anotar todas suas despesas, você pode tentar usar aplicativos que facilitem esse controle.

As regras mais importantes de educação financeira nunca mudam, basta começar e seguir firme nesse plano.

Se você quiser aprender ainda mais, baixe gratuitamente o Manual de Educação Financeira –  Controlando suas finanças.