Veja 10 tendências de inovação no varejo

Se você tem um estabelecimento comercial, deve ficar atento às novas tendências de inovação no varejo. Afinal, precisa estar sempre alinhado com aquilo que é valorizado pelos consumidores e pelo mercado, para assim realizar mais vendas e conquistar novos clientes.

O varejo existe desde os tempos antigos, na época do Império Romano. E de lá para cá muita coisa mudou. Mas existe algo que sempre segue em alta: apostar em estratégias inovadoras para conquistar novos clientes!

Você sabe quais são as 10 principais tendências de inovação no varejo?

Para conquistar clientes e se tornar uma empresa de renome no mercado é preciso ficar de olho nas tendências de inovação no varejo. Veja quais são as principais delas:

1. Vitrines customizadas

O vitrinismo (ou “visual merchandising”) sempre foi uma tática muito utilizada pelo comércio varejista. Apostar na composição de cenários e textos curtos nas vitrines, com gatilhos mentais que chamem a atenção das pessoas, sempre dá certo. No mínimo você despertará a curiosidade dos passantes.

Para dar um toque mais moderno, uma boa dica é investir em digital signage. Tratam-se de telas interativas, que podem mostrar vídeos, passar textos, fornecer informações, entre outras funções.

2. Customização de produtos

Ainda falando sobre customização, é importante oferecer opções de produtos personalizados para os clientes. Uma loja de doces, por exemplo, em vez de oferecer uma caixa de bombons com sabores aleatórios, pode deixar que o comprador escolha os que mais são agradáveis ao seu paladar.

Atitudes como essa evitam descontentamentos. Ainda usando o exemplo anterior, isso evita para obrigar o cliente a comprar um bombom com recheio de rum e outro com licor de menta quando, na verdade, ele preferia os dois com licor de menta.

3. Investimento em ações de experiências do consumidor

Nos últimos anos têm se falado muito em estreitamento de laços das empresas com o consumidor. Isso quer dizer que as pessoas já não buscam apenas por produtos. Elas querem passar por uma experiência agradável. Isso pode acontecer em lojas físicas ou digitais.

A produção de eventos, ações de merchandising, o design UX e o marketing sensorial são exemplos de ações de experiências do consumidor que podem ser tidas como uma inovação no varejo.

4. Intervenções tecnológicas

A tecnologia já faz parte da vida das pessoas e já é impossível separar a realidade física da virtual. É por isso que o comércio varejista precisa fazer intervenções tecnológicas em seus estabelecimentos físicos.

Uma loja de móveis, por exemplo, pode ter um dispositivo em que o cliente possa fazer combinações com as peças vendidas digitalmente. Assim, ele visualizará como os produtos ficarão em sua casa, caso os compre.

5. Geolocalização em estabelecimentos físicos

As estratégias de geolocalização já são muito presentes nas campanhas de marketing. Elas ajudam a direcionar melhor o público a ser atingido em anúncios patrocinados nas redes sociais, por exemplo. A novidade é que esse recurso também pode ser utilizado em estabelecimentos físicos.

É possível catalogar os produtos em uma grande loja e fornecer aos clientes um aplicativo. Assim, por meio dos smartphones e da tecnologia de geolocalização, é mostrado um mapa que aponta para o local onde está o item que se tem o desejo de comprar.

6. Internet das coisas

A internet das coisas, conhecida também pela sigla em inglês IoT, está fazendo com que as empresas fortaleçam ainda mais o relacionamento com seus públicos. Isso porque, nunca foi tão fácil estar conectado à internet. A tendência é que mais objetos conectados se popularizem, inclusive vestíveis (“wearables”), como as nossas roupas.

Nos estabelecimentos comerciais, a internet das coisas é vista como uma grande inovação no varejo. Com ela é possível automatizar cadeias de abastecimento e controlar estoque mais facilmente, por exemplo.

7. Blockchain

Chamamos de blockchain uma tecnologia que funciona como um protocolo de confiança nas trocas digitais e gera inovação no varejo. Assim, as empresas terão mais segurança ao armazenar dados de seus clientes em softwares, manter em sigilo conversas com compradores e fornecedores, entre outras funções. 

Investir em blockchain também dificulta a falsificação de produtos e elimina a necessidade da contratação de intermediários para rastrear itens comercializados pela empresa.

8. Relacionamento com consumidores conectados

Uma reportagem do jornal Estadão mostra que o Brasil já tem mais de um smartphone ativo por habitante. Isso quer dizer que as pessoas deixaram de estarem conectadas para serem conectadas. A esse fenômeno, a escritora Martha Gabriel chama de “cibridismo”.

A ideia é que o varejo veja essa nova realidade como uma oportunidade de melhorar a comunicação com os seus clientes. Isso pode ser feito por meio das mídias sociais, de estratégias de marketing de conteúdo, com o envio de newsletter e e-mail marketing, por exemplo.

9. Hiperlocalismo

O hiperlocalismo é uma tendência cada vez mais presente no meio varejista. Nesse caso, os produtos oferecidos têm uma proximidade com o local em que eles são produzidos.

Uma loja de vinhos, por exemplo, pode ser localizada dentro da propriedade rural em que ficam as parreiras de uvas utilizadas em sua fabricação. Dessa forma, o cliente não só poderá comprar um produto, como também entender a forma como ele é feito.

10. Valorização das lojas físicas

Muito embora o e-commerce tenha ganhado um forte impulso nos últimos anos, as lojas físicas seguem sendo valorizadas. Porém, é preciso que as empresas varejistas tenham uma visão diferenciada para elas.

A ideia é que os estabelecimentos físicos passem a servir mais como um local de experimentação do que como um ponto de vendas propriamente dito. Um cliente pode ir a uma loja de calçados, por exemplo, e provar alguns pares de tênis. Passado algum tempo, ele pode finalizar a compra pelo e-commerce do varejista. 

É preciso desmistificar a ideia de que os e-commerces e lojas físicas de uma mesma rede são negócios diferentes. Pelo contrário, devem servir como uma extensão um do outro.

E então, você está preparado para praticar a inovação no varejo?

Gostou da nossa lista com 10 tendências de inovação no varejo? Para se preparar e ter um negócio lucrativo, não deixe de colocar o aprendizado em prática! Assim o seu estabelecimento já estará pronto para o futuro. 

E se você souber de algo que é tendência e não comentamos aqui, compartilhe conosco! Deixe um comentário no espaço abaixo!