Como sair das dívidas e juntar dinheiro com a regra dos 3 Rs

Sem dúvidas, você já ouviu diversos conselhos sobre como sair das dívidas e começar a juntar dinheiro.

A maioria deles envolve fazer um planejamento financeiro — controlar tudo que você ganha, tudo o que gasta e garantir que o primeiro seja maior que o segundo, certo?

Bem, essa é a regra básica, mas o que poucos sabem é que sair das dívidas e juntar dinheiro vai além da matemática — também é preciso fazer uma mudança comportamental.

A boa notícia, no entanto, é que existem alguns truques que podem te ajudar com isso, como a regra dos 3Rs. Ficou curioso? Continue lendo e veja como ela pode te ajudar!

O que é a regra dos 3Rs?

A regra dos 3Rs não foi criada originalmente com o propósito de ajudar as pessoas a sair das dívidas.

Ela apareceu primeiramente nos estudos de dois zoologistas, W.M.S. Russel e Rex Leonard Burch. Os dois tentaram criar algumas regras éticas para os testes que os humanos realizavam com animais.

Essas regras ficaram populares e se tornaram sinônimo de sustentabilidade. Com o tempo, elas viraram regra ambiental não só para qualquer teste científico, mas para empresas e pessoas que buscavam reduzir seus impactos no meio ambiente. 

Como? Reduzindo o consumo, evitando o desperdício por meio da Reutilização e aumentando a Reciclagem.  É exatamente isso que os 3Rs significam: reduzir, reutilizar e reciclar.

Agora você pode estar pensando: como uma regra que surgiu inicialmente na zoologia pode ser usada para controlar o meu dinheiro?

Aplicando a regra dos 3Rs para sair das dívidas

Os 3Rs servem de orientação sobre como criar uma vida mais ecológica, ou, em outras palavras, sustentável.

Acontece que sustentabilidade não é um conceito que tem a ver somente com lixo e reciclagem, mas também com como aproveitar mais o que você já tem — no caso das finanças, o seu próprio dinheiro.

Tudo o que você precisa é fazer uma pequena mudança no seu estilo de vida, seguindo as dicas abaixo:

1. O primeiro “R”: Reduzir

O conceito de reduzir é essencial para sair das dívidas. A lógica por trás dele é simples de entender: se há menos gastos, então há menos para reutilizar ou reciclar.

O processo de redução começa com uma avaliação do que você está usando (gastos) e com o que é usado. Existem três etapas simples para avaliar isso:

  • Isso pode ser usado para mais alguma coisa? Pense em comprar coisas ou usar itens que tenham mais do que um propósito para iniciar a redução;
  • Isso é algo que precisa mesmo ser feito? Muitos de nossos gastos vêm de itens que podem ser supérfluos;
  • O item faz parte de algo que pode esperar? Lembre-se que quando estamos em dívidas precisamos limitar os gastos para coisas essenciais.

2. O segundo “R”: Reutilizar

A reutilização tem a ver com repensar o que você tem para não ter que comprar mais. Você pode ter uma caixa de coisas que estão quebradas e podem ser consertadas ou que não têm um uso para o que você espera, mas que podem ganhar um novo sentido com uma reforma.

Você pode encontrar pechinchas em móveis antigos, fazer coleta de lixo e juntar alguma coisa com a troca de latinhas e outros itens, por exemplo.

Aprender a reutilizar itens, ou reutilizá-los para um uso diferente do que eles são originalmente destinados, é essencial nesse caminho.

3. O terceiro “R”: Reciclagem

A última etapa é reciclar. Reciclar financeiramente significa transformar algo em um novo item que pode ser vendido e juntar um dinheiro para sair das dívidas. 

Escolher cuidadosamente produtos que podem ser reciclados no futuro pode ser um primeiro passo. Você precisa dar uma olhadinha em tudo que tem e ver o que pode ser consertado, reformado e revendido.

A internet também está aí para que você possa aprender como fazer diversos trabalhos artesanais com produtos reciclados que podem se transformar em uma nova fonte de renda, mesmo que pequena.

Tudo isso te ajudará no caminho para sair das dívidas e nunca mais voltar a elas. Lembre-se: é preciso fazer uma mudança de hábito para chegar lá! Portanto, comece preparando a sua cabeça e as das pessoas que vivem da sua renda familiar!

Para te ajudar mais ainda nesse processo, baixe gratuitamente nosso Manual de Educação Financeira: Saindo das Dívidas!