6 dicas para fazer um planejamento financeiro anual

Uma preocupação parece estar sempre à mente do brasileiro: será que devo fazer um planejamento financeiro anual?

Especialmente com a alta carga tributária desse período somada às taxas de matrícula, material escolar, férias e outros gastos típico do período, entrar em um novo ano pode ser pesado para o seu bolso.

É por isso que fazer um planejamento financeiro anual é essencial. Uma pesquisa realizada em 2018 pelo SPC junto à CNDL revelou que 58% não dedicam tempo para cuidar das finanças. O resultado é que mais de 60 milhões de brasileiros fecharam o ano endividados.

E para que em 2019 você não seja um deles, abaixo explicamos os passos para fazer seu planejamento financeiro anual! Acompanhe:

Passo #1: Escolha a ferramenta que vai usar

Em primeiro lugar, existem vários métodos pelos quais você pode criar seu planejamento financeiro anual, incluindo:

  • um programa de planilha eletrônica, como o Microsoft Excel;
  • aplicativos de controle financeiro pelo celular;
  • papel, lápis e calculadora.

A escolha por qual você usará dependerá da facilidade que tem com cada ferramenta. Cada uma oferecerá diferentes benefícios, mas você não usufruirá de nenhum deles caso não tenha familiaridade ou goste de usar a ferramenta escolhida.

Artigo relacionado 6 apps para controlar suas finanças pessoais.

Passo #2: Pesquise seus gastos e rendas do ano anterior

Reúna seus extratos bancários anteriores, contracheques, extratos de cartão de crédito, contas de serviços públicos, cheques cancelados, recibos e qualquer outra coisa que o ajude a descobrir quanto você ganhou e gastou no ano passado, ou idealmente nos últimos anos.

É a partir desses dados que você começará a moldar como será seu planejamento financeiro anual e poderá fazer melhores projeções (ou seja, mais próximas da realidade) sobre o próximo ano.

Passo #3: Fazer projeções para o planejamento financeiro anual

A pesquisa das rendas passadas te dará um norte por onde começar, mas é bem provável que sua renda no próximo ano seja diferente dos anos anteriores. Você pode ter tido um aumento, conseguido uma nova fonte de renda ou tem dinheiro de algum processo para receber.

Seja o que for, descubra sua renda anual esperada de todas as fontes:

  • Salário;
  • Pensão alimentícia;
  • Benefícios do governo;
  • Juros e dividendos;
  • Aluguéis;
  • Aposentadoria;
  • Outras fontes de renda.

Passo #4: Faça projeções das despesas fixas e variáveis

Da mesma forma, mapeie todos os seus gastos para seu planejamento financeiro anual. Isso implica mapear o que você espera para o próximo ano em termos de despesas fixas, aquelas que não mudam, e variáveis, aquelas que são diferentes a cada mês.

Método 50/30/20

Se você não tem certeza de quanto do seu dinheiro deve gastar, um método é procurar o orçamento 50/30/20 introduzido pela professora de Harvard, Elizabeth Warren em um de seus livros. Com o orçamento 50/30/20, o seu objetivo é alocar 50% do seu rendimento (descontados os impostos) às necessidades básicas, 30% aos desejos e 20% à poupança e pagamento de dívidas.

Usando os documentos do ano passado para referência, projete suas despesas fixas e variáveis ​​para o ano. Algumas despesas são conhecidas: seu aluguel ou financiamento, por exemplo, será o mesmo em cada mês.

Apenas certifique-se de cobrir todas as suas despesas com categorias separadas o suficiente para ser útil (ou seja, uma categoria chamada “contas” não vai realmente ajudar você a descobrir para onde vai o seu dinheiro). Aqui estão algumas categorias comuns para você começar:

  • Pagamentos de dívidas: financiamentos, empréstimos estudantis, cartão de crédito;
  • Educação: faculdade, aula particular, creche, livros, suprimentos;
  • Entretenimento e lazer: esportes, saídas, filmes, shows, Netflix;
  • Utilidades: telefone, água, luz, gás; TV por assinatura, internet;
  • Moradia: aluguel, manutenção da casa, condomínio;
  • Alimentos: compras de supermercado, sacolão;
  • Transporte: gasolina, ônibus, estacionamento;
  • Pessoal: roupas, sapatos, academia;
  • Saúde: plano de saúde, dentista.

Liste cada categoria e subcategoria de despesas (lembre-se de listar as categorias que funcionam para você — não há uma maneira pronta de fazer isso) e insira sua projeção de orçamento para cada uma.

Muitas pessoas gostam de usar listas separadas para “Despesas fixas”, “Despesas variáveis”, pois isso será útil se o orçamento precisar ser ajustado.

Passo #5: Pense nos impostos

Uma palavra sobre impostos: você terá que contabilizar o imposto de renda em algum lugar do seu orçamento. Se você usar sua receita antes dos impostos, precisará adicionar uma categoria de despesa para impostos.

Alternativamente, você pode simplesmente usar o seu salário líquido (o tanto que você recebe já desconta os impostos, caso tenha carteira assinada) na seção de renda e omitir os impostos do lado da despesa do orçamento.

Com qualquer método, você pode incluir qualquer restituição esperada de imposto de renda no lado da receita. Ou quaisquer pagamentos antecipados de impostos no lado das despesas do orçamento, aliás. Você pode não saber se receberá um reembolso ou será devedor este ano, mas faça o seu melhor palpite com base no seu histórico de declaração de impostos.

Passo #6: Examine o seu fluxo de caixa

Subtraia suas despesas de sua renda. Se você tem dinheiro sobrando, você tem um excedente e pode decidir como gastar, economizar ou investir o dinheiro. Coloque esse valor em seu orçamento na categoria apropriada. Se você não tiver renda suficiente para cobrir suas despesas, terá que ajustar seu orçamento.

Você pode aumentar sua renda — adicionando mais horas no trabalho ou pegando um segundo emprego, por exemplo — ou você pode diminuir seus gastos. A maioria das pessoas acha mais fácil diminuir os gastos, já que isso é algo que você pode ter mais controle e que não vai te sobrecarregar. Comece cortando o que é menos necessário, como comer fora ou TV por assinatura.

Fazendo esse planejamento financeiro anual, será possível não só entrar o próximo ano mais tranquilo, como terminar ele no azul e poder desfrutar de uma folga financeira!

Agora que você já sabe como tomar as rédeas das suas finanças, aproveite e leia também nosso post com dicas para não entrar no rotativo do cartão de crédito neste novo ano!